quarta-feira, 6 de março de 2013

DEUSA DIANA DE ÉFESO

 


 

A Diana dos Efésios era uma divindade pagã adorada em toda Ásia Menor nos tempos apostólicos.
 A deusa “que caiu do céu” como era conhecida, era chamada Diana pelos romanos e Ártemis pelos gregos.
O centro do culto a essa divindade estava na cidade de Éfeso onde ficava o imponente templo, um dos maiores edifícios da antiguidade, considerado uma das sete maravilhas do mundo.
As características desse templo eram impressionantes: levou quase dois séculos para ser construído; era sustentado por 127 colunas com vinte metros de altura cada uma. Mármores raríssimos adornavam o piso e as paredes, dando ao edifício muito requinte.
O culto a Diana dos Efésios se propagou por todo território da Ásia Menor, de onde viam peregrinos de todas as partes participar das famosas orgias da festa da “deusa da volúpia”.
 Ao chegar no templo em Éfeso encontravam as sacerdotisas prostitutas que serviam nos cultos a essa deusa da imoralidade.
 Isso dá-nos uma idéia do teor dessa “adoração”.
A imagem dessa deusa era um tanto grotesca; uma vez que era representada por uma mulher com vários seios no seu dorso; uma referência à fertilidade.
O culto a Diana movimentava um grande comércio.
Éfeso havia se tornado o local de peregrinação para os adoradores, desejosos de voltar levando talismãs e lembranças.
Gerenciando esse comércio havia o famoso sindicato dos ourives que levantou grande perseguição a Paulo, o qual condenou o culto pagão à Diana (At. 19:23-40).
A população de Éfeso se orgulhava de ser a guardiã do templo a Diana, que, acreditava ter caído do céu - possivelmente um meteorito (At. 19:35).
 Não se sabe ao certo quando começou o culto a essa deusa.
  Pode haver alguma ligação com a deusa Astarote (Jz. 2:13) que era adorada pelos cananeu 1000 anos a.C. O fato é que o culto a Diana se perdeu com o tempo.
 Do famoso templo situado em Éfeso, restam apenas ruínas.
 É preciso observar que não há nenhuma correlação entre a deusa Diana e o uso do véu pelas mulheres.
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário